My Top: Os melhores discos de 2012 (Rock/Metal) – Parte 2

40 – Lynyrd Skynyrd – Last of a Dyin’ Breed
Lynyrd Skynyrd - Last of a Dyin' BreedDepois de 4 anos do lançamento de God & Guns, o Lynyrd Skynyrd volta com mais um disco, o 12°. O disco não segue a linha musical do último disco e sim faz uma “meia volta” aos anos 70, tendo ainda um som moderno, mas sem querer ser apenas uma cópia da formação clássica. Assim, ao longo de 15 faixas, a banda traz o Hard Rock misturado com seu country, além de baladas lindas. Quando se trata de Southern Rock, o Lynyrd Skynyrd nunca decepciona. E aqui, vai além disso e surpreende.

39 – Age Of Artemis – Overcoming Limits
Age Of Artemis – Overcoming LimitsOs brasileiros aqui surpreenderam muito. Há uma tendência atual a endeusar qualquer bom lançamento nacional, mas o Age Of Artemis mostrou em seu debut sua qualidade. Tendo Edu Falaschi como produtor, tem como base um Power Metal de alta qualidade. Pode não ser nenhuma novidade dentro do som do gênero, mas o que importa é a qualidade das músicas, e nisso o nível nesse disco é muito alto.

38 – Blackberry Smoke – The Whippoorwill
Blackberry Smoke - The WhippoorwillO Blackberry Smoke é uma das melhores surpresas que apareceram no Southern Rock em muito tempo. Com personalidade e muito talento, o grupo chega ao terceiro disco, conquistando os que os escutam. Pena que são tão poucos. A banda já soa extremamente madura, cheia de elementos variados, com um alto nível constante. São músicas belas e relaxantes. Recomendado não apenas para os fãs do gênero, mas para fãs de Rock em geral.

37 – Soen – Cognitive
Soen – CognitiveO Soen chamou atenção ultimamente por ser o novo projeto do ex-baterista do Opeth, Martin Lopez, com o ex-baixista do Death e Testament, Steve DiGiorgio. Quando se escuta o som da banda, não se lembrar do Tool é muito difícil, mas o som da banda é de muito mais fácil assimilação e tão bom quanto. São faixas muito bem compostas, extremamente bem trabalhadas, com muitos elementos progressivos. Para quem escutá-lo sem tratar a banda como uma cópia do Tool, vai ter uma boa surpresa.

36 – Unisonic – Unisonic
Unisonic – UnisonicOs fãs do Helloween ficaram extremamente felizes com o anúncio do Unisonic, que é a nova banda de um dos melhores vocalistas que o Metal já ouviu, Michael Kiske com Kai Hansen, muitos já esperavam um disco de Power Metal. Isso não foi nem perto o que aconteceu. O Unisonic é uma banda de Hard Rock que em alguns momentos flerta com o Heavy Metal. Isso é um problema? Talvez alguns fiquem desapontados, mas o som gravado aqui é de alta qualidade, tanto na qualidade do som quanto das músicas em si. Não é exatamente o que os fãs esperavam, mas talvez tenha sido uma surpresa melhor ainda.

35 – Kiss – Monster
Kiss – MonsterO Kiss tem uma das bases de fãs mais chatas já vistas. O ego de uns ali é exagerado. Mas ainda assim, não há como falar mal de quando a banda acerta tanto em um disco. E o disco da vez, Monster, traz a banda, no seu 20°(!) disco, extremamente competente. A banda não inventa, apenas faz seu Rock N’Roll, só que mais pesado que vinha fazendo ultimamente. O disco é extremamente direto, é um dos seus pontos fortes.

34 – Rage – 21
Rage – 21O Rage decidiu separar-se em duas bandas, uma específica para seu lado mais clássico que era constante no seu antigo som Power Metal e o Rage em si, que agora se concentra em um Heavy Metal de alta qualidade. Muitos fãs não gostaram disso e viraram a cara pro disco, mas não deveriam, porque na verdade o disco é uma porrada. Um Heavy Metal intenso constante, quem fazem de 21 um prato cheio para qualquer fã de Heavy Metal que se preze.

33 – Katatonia – Dead End Kings
Katatonia – Dead End KingsO Katatonia definitivamente é uma das bandas mais legais do Metal nos últimos anos. No início, a banda junto com o Paradise Lost e o Anathema, foi pioneira no Gothic/Doom Metal. Mas com o passar do tempo, assim como as outras duas bandas, o Katatonia manteve seu som sombrio e tenso, mas seu som se tornou muito mais leve, apostando nos sentimentos que passa pelo clima e pelo vocalista Jonas Renkse. Aqui, a banda segue a linha musical de Night Is The New Day (2009). A diferença é que apesar dos elementos serem parecidos, esse disco é de mais difícil absorvição, mas depois de entendê-lo, se mostra tão bom quanto o anterior.

32 – Europe – Bag of Bones
Europe – Bag of BonesA banda eternamente conhecida por causa de The Final Countdown (infelizmente, só por ela), mostra aqui uma banda ainda mais pesada e intensa, assim como o disco anterior, Last Look At Eden. Só que aqui, a banda mergulha de cabeça ao som Hard Rock dos anos 70 e o resultando é gratificante. Alguns dizem qua a banda se perdeu e cedeu seu lugar ao H.E.A.T., mas pelo menos pra mim, o som da banda soa melhor do que nunca.

31 – Primal Fear – Unbreakable
Primal Fear – UnbreakableAntes de ser lançado no início do ano passado, os membros do Primal Fear prometeram que Unbreakable voltaria ao som dos primeiros discos da banda, e realmente cumpriram o que disseram. Assim, a banda deixou os experimentos de lado e faz um som cru e direto, com músicas de muita qualidade, fazendo desse lançamento mais um disco de Heavy Metal, deixando o Power Metal em segundo plano. Com os membros que tem, não poderia se esperar menos, e o disco deve fazer a alegria dos fãs do gênero.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s